sem comentários ainda

Nutricionista aborda em artigo o projeto “Adoçando o coração”

“Admito que quando me trouxeram a proposta de produzir 500 ovos de páscoa para as nossas crianças me deu certo medo, mas que considero normal quando se trata do novo.
Tudo que é novo vem com medo, medo de errar, mas são com os erros que aprendemos.
Foram 10 dias para produzir 500 ovos. 11 quilos de chocolates derretidos por dia. Um total de 65 quilos utilizados.
Nossa… Escrevendo agora percebo o quanto de chocolate usamos para adoçar esses dias… Que foram de muito trabalho, mas um trabalho dedicado de muito amor. Não quero dizer que os outros dias não sejam regados com amor, mas é que a Páscoa tem um significado diferente.
Para mim a Páscoa é uma data que marcou muito a minha infância e me lembro até hoje de uma véspera de Páscoa na escola (mas isso vou contar somente no final).
Esse projeto que coloquei como nome Adoçando o Coração me fez ver como os alunos são capazes, como eles aceitam novos desafios, como são abertos para aprender e não colocam medo nesses desafios, muito pelo contrario percebi que desafios os desafiam, e eles se permitiram a fazer com amor.
No momento das oficinas percebi que algumas crianças tinham algumas dificuldades para colocar o chocolate na forminha, mas o desejo de produzir esse ovo era tanto que eles tiravam de letra essa dificuldade. Alguns ainda se sentiam inseguros, mas com o passar dos minutos tudo se tornou uma brincadeira muita séria. Eles se deram conta da responsabilidade que colocamos em suas mãos, pois esses ovos chegariam a todos os colegas da escola.
Foi muito engraçado porque pudemos trabalhar com vários sentimentos em apenas uma hora de produção. Lembro-me de um aluno segurando o pote cheio de chocolate e cheirando, estava quase impossível resistir à vontade de comer. Nesse momento trabalhou a sua ansiedade e o saber esperar. Foram muitas experiências vividas.
O 9º Ano ficou encarregado de embalar todos os ovos. Foi lindo ver a organização que eles tiveram. Dividiram-se em grupos. Uns cortavam as folhas de celofane. Outros montavam os laços. Outro grupo juntava as partes dos ovos, para que o outro colocasse no celofane e terminasse com o laço.
Como eles se respeitaram… Perceberam que um não conseguem fazer nada sem a ajuda do amigo… Perceberam que trabalhando em equipe com amor e respeito temos um resultado melhor.
E chegou o tão esperado 24de março, dia da entrega dos ovos… Como foi gratificante ver a felicidade de todos. Meus olhos encheram de lágrimas… Lágrimas de felicidade… De dever cumprido e de um resultado que espero que tenha marcado a vida deles.
Lembro-me de uma aluna do ensino médio saindo da sala do 6º ano (ela foi entregar os ovos), quando saiu, ela encostou-se à parede e falou para seu colega: “Estou tremendo, como foi bom entregar esse presente… E esse cartão que fofo”. Mais uma fez meus olhos encheram de lágrimas e pensei: Tudo que é feito com amor e por amor dá frutos maravilhosos.
A Páscoa é muito mais que apenas chocolates e tenho certeza que conseguimos mostrar isso aos nossos alunos. A Páscoa é gratidão, tempo de recomeçar, é tempo de dar amor e receber amor.
Como falei no começo desse texto a Pascoa marcou muito minha infância. Tive uma professora na Educação Infantil (Jussara Righi) que soube transmitir a importância da data, em uma brincadeira, muito bem. Hoje me lembrei muito dela. E como gratidão escrevi para ela em 24 de março:
EXISTEM MOMENTOS QUE MARCAM PARA SEMPRE A VIDA DE UMA CRIANÇA
Lembro-me como se fosse hoje:

Era véspera de feriado de Páscoa, e mais um dia de aula na EMEB Amélia Lima Lopes. Eu era tão pequenina que não imaginava o que iria acontecer naquele dia. Para mim seria um dia normal como os outros…
… Minha mãe me levando para a escola (eu adorava ser a primeira da fila só para pegar na mão dela (professora)… Risos..
E fomos para mais um dia de aula. Mas foi um dia muito diferente… Era dia de caça aos ovos de páscoa. Brincamos, fizemos nossas atividades, fomos tomar o lanche e quando voltamos para a sala um tremendo susto…
O armário da professora estava todo bagunçado. A caixa de giz toda espalhada e ela nos perguntava quem tinha feito aquilo?… Quem tinha bagunçado o armário?… E a sua expressão era de “brava”.
Confesso que até fiquei com medo.
Porém, depois daquela “bronca” ela nos olhou e disse: “Gente o que é isso no chão?”.
Quando olhamos havia muitas pegadas do coelhinho da páscoa. Essas pegadas entravam no seu armário bagunçado e foi ele, o coelhinho… (risos)
Começamos a andar atrás dessas pegadas. Eram muitas… Estavam em todos os espaços.
Até que chegamos ao “ninho” dos ovos. O coelhinho havia deixado ovos para todos da sala. Que felicidade… Lembro-me como fiquei feliz… Que emoção foi achar aqueles ovos”…

Já contei essa história para muitas pessoas. E nesta época me vem à lembrança de como a professora cuidava bem de nós..
Hoje essa lembrança tornou-se mais forte, pois foi a vez do meu filho ir a caça dos ovos de páscoa.. Queria tanto ter visto a carinha dele na escolinha achando os ovos…
E hoje pude ver nas mais diferentes expressões, a carinha de cada aluno, seja do Fundamental I, II, ou Médio Técnico… Independente da idade… Todos… Sem exceção transmitiam muita satisfação, alegria…, pois quem não fez o ovo, elaborou o cartão de feliz Páscoa. Todos ganharam um ovo e um cartão. Todos trabalharam juntos.. E a sementinha da magia da Páscoa foi colocada em cada coração… Por isso chamei o projeto de Adoçando o coração”.

Muito obrigada à Fundação por esta oportunidade.
Fabiana Mattiolli da Silva Godoy

Publicar um comentário